Mineração de areia começa a se tornar ameaça nacional

jacarei
Rio Paraíba – Jacareí (SP)

Não é apenas aqui no Rio Grande do Sul que o tema começa a ser debatido com maior ênfase. Enquanto discutimos a forma correta de migrar a extração de areia do Jacuí para o Guaíba, ou outras alternativas, outros desastres seguem acontecendo para indicar ainda mais importância na questão. O exemplo mais recente? 75% da população de São José dos Campos (533.501 habitantes), em São Paulo, está com o abastecimento de água comprometido pelo rompimento de uma barragem num lago onde era realizada extração de areia legalizada.

O acidente ocorreu no início de fevereiro e até o momento não foi possível estimar a quantidade de resíduo mineral vazada. O lançamento provocou a alteração da qualidade das águas e alteração dos parâmetros de turbidez. Após análise do material encontrado no rio, foi identificado presença de alumínio e ferro acima dos valores de referência de qualidade da água estabelecidos pelo Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente). A Rolando Comércio de Areia Ltda, responsável pelo talude que se rompeu, possuía licença ambiental para operação, fornecida pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb).

No entanto, a Cetesb esclareceu não autorizar o lançamento das águas residuárias em lagoa adjacente e determinou à Rolando Comércio de Areia Ltda a recuperação da área para conter o vazamento. Por já ter sido multada por descumprir a legislação municipal, a multa para a empresa, desta vez, foi de: R$ 11.760, depois da multa de 5 milhões que eles receberam pelo rompimento da barragem. Porém, o maior prejuízo segue sendo o da região, que teve a qualidade de suas águas comprometidas.

Deixe uma Resposta