75 anos da Enchente de 1941

Nesse ano faz 75 anos da a maior enchente registrada na cidade de Porto Alegre. Durante os meses de abril e maio a precipitação somou 791 milímetros e deixou 70 mil flagelados sem energia elétrica e água potável. As águas do Guaíba alcançaram a cota recorde de 4,75 metros, com um tempo de recorrência de 370 anos.

ENCHENTE41-POA15  enchente-1941 - rua- ruguai-prox 7-Setembro

 

As cheias que ocorrem no no manancial são causadas por fatores ambientais inter-relacionados, principalmente pelas chuvas intensas que ocorrem nas cabeceiras dos rios afluentes, sobretudo em anos de El Niño, juntamente com o efeito de represamento decorrente do vento sul no estado.
O centro da cidade ficou debaixo d’água e os barcos se tornaram o principal meio de transporte de Porto Alegre entre abril e maio daquele ano. Após esta data, o Arroio Dilúvio foi canalizado, o Muro da Mauá foi construído e um sistema de drenagem foi instalado, para evitar a repetição do problema. Porto_Alegre_Enchente_região_central_1941-thumb-600x382-34508
Aproximadamente 600 empresas demoraram meses para reabrirem. Foram 22 dias de chuva intensa entre abril e maio daquele ano. Porto Alegre voltou a encarar enchentes em 1967, porém não chegou a tais proporções.
Hoje em dia, ainda se pode ver as marcas das águas nas paredes do Mercado Público. A Cruz Vermelha Norte-americana destinou US$ 10 mil aos flagelados do RS, fato noticiado pelo jornal Diário de Notícias, em 16 de maio de 1941. Depois do ocorrido, o Governo do Rio Grande do Sul decidiu construir um muro bloqueando o Lago Guaíba, para evitar mais enchentes. Mas, muitas pessoas querem que o muro seja destruído, pois ele bloqueia a vista para o Cais do Porto. A expressão “abobado da enchente” (que significa besta), muito conhecida dos gaúchos, teria surgido devido a famosa enchente.

Fonte:

http://www.curtopoa.com.br/historia/historia-porto-alegre/enchente-1941
http://goo.gl/uCNM2M

 

 

Deixe uma Resposta